Sal Gastronomia em São Paulo

27 de Março de 2017

Share

Vote nesse post
[Total: 30    Média: 2.8/5]
*Eugênio Franco
Especial para o Sabores da Cidade

Sempre gostei de comer. Mas me empolguei mais com a gastronomia propriamente dita, como muitos, após começar a assistir Masterchef. Sendo fã do chef Henrique Fogaça e já tendo conhecimento sobre alguns pratos servidos no seu restaurante que me interessavam bastante, pretendia conhecer quando fosse a São Paulo. Encontrei um local com a arquitetura moderna, cozinha visível através de uma parede de vidro.

Fui atendido prontamente pelo garçom, que vestia uma roupa preta com uma caveira com facas, símbolo do SAL. Ao conversar com ele e explicar minhas expectativas, me foi sugerido escolher alguma das opções do menu degustação, podendo optar por quatro, seis ou oito tempos. Como o objetivo era ter a experiência mais completa possível, optei pelo menu de oito tempos, no valor de R$ 308,00.

Iniciamos com um Queijo coalho tostado com melado e uva verde, temperado com pimenta rosa e raspas de limão. O brilho que a pimenta e o limão trouxeram a um prato comum fez toda a diferença. Iniciamos muito bem, pensei. Em seguida (e sem demora), recebemos o Steak Tartar (Patinho de Kobe) com batata frita, melhor ainda. Seguido pelo Ceviche de prego. Eu, que não gosto de ceviche, achei bem interessante. Não tinha um sabor tão forte de marinado como a maior dos ceviches que já provei. Então, veio o prato das entradas que eu mais esperava: o Siri mole crocante. ES-PE-TA-CU-LAR. a farofa que o acompanha é simplesmente fantástica e o siri chega a ser indescritível.

Siri mole

Desceu uma lágrima.

Passamos para o quarto tempo, dando início aos pratos principais. Tentáculo de polvo com batatas salteadas, brócolis no alho e tomate cereja. Sou fã de polvo e o ponto estava excelente. Não esperava o contrário, visto que os pratos servidos até então seguiam a linha do excelente. Porém, o prato em si não me encantou. Bom, bem preparado, saboroso, mas nada surpreendente.

Em seguida, foi servido o Lombo de cordeiro purê de dois queijos, funghi e molho de jabuticaba. O aligot também estava entre um dos pratos que mais queria provar no SAL Gastronomia. Não me arrependi. O cordeiro estava bem macio e o molho de jabuticaba foi uma surpresa emocionante. Para fãs de agridoce, pedido sem erro.

Como finalização, tivemos duas sobremesas. A primeira, mousse de chocolate belga com caramelo crocante e sal negro, e, mais uma vez para os admiradores de pratos agridoces, muito bom. A combinação de de texturas do macio do mousse com o crocante do caramelo aliada ao contraste do doce com o sal negro é uma experiência ímpar. Mas, essa não era minha principal expectativa.

Um dos principais motivos de ter ido ao estabelecimento do chef Fogaça foi a última sobremesa do menu: Suflê de goiabada com requeijão. Recém saído do forno, de uma leveza inacreditável. Como terceiro prato do menu a utilizar o contraste entre sabores, ainda assim fechou a experiência com chave de ouro.Para acompanhamento, bebi um suco verde de limão com manjericão, surpreendentemente saboroso, pelo menos para mim, que não sou adepto de sucos verdes.

Ao fim do almoço, por volta de 15h30 (eles funcionam até 15h no almoço), tive uma grata surpresa: o Chef Henrique Fogaça chegou ao restaurante. Foi muito atencioso, solícito e preocupado com minha opinião sobre o restaurante e os pratos.

Conclusão: Aprovado. Certamente retornarei.

Chef Henrique Fogaça e nosso leitor Eugênio Franco

Sal Gastronomia

R. Minas Gerais, 352 – Higienópolis, São Paulo – SP. Telefone: (11) 3151-3085

 

*Eugênio Franco é médico e barista e tem um perfil sobre medicina de emergência (@seremergencista).

Comentários

Comentários

Jornalista especializada em Gastronomia. Gosta de comer de tudo. As boas experiências conta aqui, as ruins só pessoalmente. Além do blog, é assessora de comunicação e marketing digital e editora do caderno Sabor (jornal Diário do Nordeste).