Carolina Bazan é eleita a Latin America’s Best Female Chef 2019

0
1495
Foto: Divulgação

Os Latin America’s 50 Best Restaurants anunciam Carolina Bazán – chef e cofundadora do restaurante Ambrosía e Ambrosía Bistro em Santiago, Chile – como vencedora do prêmio de Latin America’s Best Female Chef 2019 Award. Em seu sétimo ano, o prêmio tem como objetivo apoiar e promover a inclusão na esfera culinária e proporcionar oportunidades para outras mulheres inspirarem as futuras gerações de jovens, tanto na cozinha quanto fora dela.

Com restaurantes em Santiago (Chile), Bazán concorreu com grandes nomes da America Latina. Foto: Divulgação

Bazán receberá o prestigioso reconhecimento Latin America’s 50 Best Restaurants, patrocinado por S.Pellegrino e Acqua Panna, na quinta-feira, 10 de outubro, em Buenos Aires na Argentina, durante o  evento anual que recebe chefs, proprietários de restaurantes, jornalistas e gourmets de todo o mundo. Este é o primeiro ano em que o programa é realizado na cidade argentina, após edições anteriores na Colômbia, México e Peru. O prêmio é o primeiro de três, anunciados antes da divulgação da lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina. Em breve teremos a divulgação de outras premiações que contemplam o American Express Icon Award, em 12 de Setembro, e o Miele One To Watch Award, em 26 de Setembro.

“Estamos encantados em divulgar o nome da Carolina no legado das melhores chefs mulher da América Latina. Ela é pioneira em conquistar esse título com especial enfaze na cena dos ingridientes frescos de mercado e na sociedade como um todo”, afirma William Drew, diretor de conteúdo do prêmio Latin America’s 50 Best Restaurants.

Bazán é considerada referência em comandar os restaurantes Ambrosía e Ambrosía Bistro em Santiago, Chile, onde traz um toque francês a um menu liderado pelo mercado. Em 2014, seu primeiro restaurante, Ambrosía, foi nomeado o One To Watch no Latin America’s 50 Best Restaurants e, desde então, mantem  o nome em um patamar no ranking gastronômico anual ao lado de Rosario Onetto, sua parceira na vida e nos negócios.

“Ser eleita a melhor chef feminina da América Latina é uma honra para mim, não apenas pelo que conquistei em meus restaurantes, mas também pelo equilíbrio que encontrei na minha vida pessoal e profissional”, relata Bazán. “Eu trabalhei muito duro para isso, mas não teria conseguido sem a minha família. Eles são a minha prioridade em todos os aspectos da minha vida”, finaliza a chef.

Filha de diplomata, Bazán viveu em várias partes das Américas até os 13 anos. Sua mãe dava aulas de culinária antes de testar novas combinações para os visitantes, enquanto Bazán e seu irmão ajudavam a preparar os ingredientes e atuavam como garçons. Com apenas 23 anos, Bazán comandou uma cozinha pela primeira vez quando inaugurou a primeira unidade de Ambrosía junto com sua família no centro de Santiago. O restaurante teve um sucesso imediato, pois a família criou sabores caseiros de maneira impecável. Em 2010, Bazán foi para a França continuar seu treinamento em culinária, trabalhando com Grégory Marchand no aclamado restaurante parisiense, Frenchie.

Em 2013, Bazán voltou ao comando da Ambrosía, abrindo o restaurante em um novo lugar e transformando completamente o menu e abordagem dos pratos. O resultado foi uma culinária familiar moderna, onde ingredientes frescos são as “estrelas” de menus sazonais, inspirados nos sabores que a chef descobriu em suas viagens à América Latina e arredores. Mais recentemente, Bazán abriu o Ambrosía Bistro, um projeto urbano e íntimo, onde a bistronomia é a regra. Atualmente, ela administra as cozinhas de ambos locais e compartilha os sucessos com sua parceira e dois filhos.

Bazán se une a um seleto grupo de mulheres reconhecidas por sua imensa contribuição para a gastronomia desde o lançamento dos Latin America’s 50 Best Restaurants em 2013. Entre as ganhadoras anteriores do Latin America’s Best Female Chef 2019 Award estão: Pía León, da Central e Kjolle, no Peru, em 2018; Leonor Espinosa, de Leo na Colômbia em 2017; Kamilla Seidler de Gustu na Bolívia em 2016; Chef brasileira Roberta Sudbrack em 2015; Elena Reygadas, de Rosetta no México em 2014; e Helena Rizzo, de Maní, no Brasil, em 2013. Cada uma foi homenageada por seu impacto positivo na gastronomia da região e sua percepção em todo o mundo.

O processo de seleção

O prêmio de Latin America’s Best Female Chef é votado por mais de 250 especialistas da indústria de restaurantes e gourmets bem viajados de toda a região, com um equilíbrio de gênero de 50:50, que compõem a Latin America’s 50 Best Restaurants Academy.

A lista dos Latin America’s 50 Best Restaurants, votada pelo mesmo órgão, fornece opiniões e um panorama das experiências da Academia. É um ponto de referência gastronômico reconhecido mundialmente, que mostra as principais tendências e destaca ótimos restaurantes de todos os cantos da região. O que constitui ‘melhor’ fica a critério desses gourmets confiáveis ​​e bem-viajados. Não existe uma lista de verificação pré-determinada de critérios, mas existem regras estritas de votação. O processo de votação e os resultados dos Latin America’s 50 Best Restaurants estão sujeitos a adjudicação independente pela consultoria mundial de serviços profissionais, Deloitte.

William Reed Business Media

A lista dos Latin America’s 50 Best Restaurants, agora em sua sétima edição, é publicada pela William Reed Business Media, que também publica os The World’s 50 Best Restaurants, lançados em 2002, e os Asia’s 50 Best Restaurants, lançados em 2013. William Reed Business Media é o único responsável por organizar os prêmios, coletar os votos e produzir a lista.

Comentários

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui