‘Olho d’Água’, série sobre cultura alimentar cearense, foi lançada nessa segunda (16)

0
936
Icapuí

O projeto, lançado pela produtora Peixe-Mulher, foi criado totalmente para o Instagram 

Bia Leitão, Luana Cauibe e Renata Monte (foto: divulgação)

Água é sempre o começo de tudo. É quem benze, quem cura, mata a sede, banha a terra, enche os olhos, enche a boca, faz brotar o que comer. Guiada pelas águas cearenses, Olho d’Água, nova série audiovisual da Peixe-Mulher, que estreou no nessa segunda, dia 16 de agosto, passeia por cidades e territórios do Estado para mostrar os sabores da cultura alimentar cearense.

Dirigido pela jornalista Renata Monte, o projeto é encabeçado pelas cozinheiras Bia Leitão e Luana Caiubi e dividido em quatro episódios. O trio pesquisa como a água – em abundância ou escassez – é fator determinante sobre o que vai à mesa do cearense e define os tantos Cearás que existem entre serra, sertão, capital e litoral.

NA VERTICAL

Produzida com recursos da Lei Aldir Blanc, por meio da Secretaria Estadual da Cultura, Olho d’Água foi criada para o Instagram, rodada toda em formato vertical e transmitida, inicialmente, pelo perfil da produtora @_peixemulher, com um episódio por semana.

A tendência tem chegado com timidez ao audiovisual brasileiro, mas abre um novo leque de possibilidades para o futuro, uma vez que tem as redes sociais como plataforma de exibição. Fora do Brasil, filmes e séries consumidos na palma da mão, por celular ou tablets, já são realidade.

AS CIDADES

Viçosa, na Serra da Ibiapaba, foi a primeira cidade por onde o projeto passou. Lá, a água entorna as plantações de cana-de-açúcar e feijão. Tem gosto de baião de fava de Gorete, cachaça de Dona Luzia e licor para brindar a vida – tradição da família de Tereza Cristina.

No Sertão dos Inhamuns, outro Ceará surge na rota e mais um episódio. Tauá é a terra da melhor carne de carneiro, segundo Seu Dedé, produtor da manta do animal que resiste bem aos tempos de seca. Já nos açudes, o “artigo de luxo” cearense: a Ova de Curimatã, conhecida como o Caviar do Sertão. 

Icapuí, no litoral leste, apresenta o terceiro episódio e chega com as histórias de mulheres do mar e panelas cheias de sururu e moqueca de búzios. A memória afetiva tem gosto de castanha assada e devorada à sombra do cajueiro do simpático Veremundo.

Fortaleza encerra a série com a sabedoria de quem é nascido e criado na Boca da Barra, coração da Sabiaguaba, traz a energia das águas que encontram o mar, a força do matriarcado e a disposição de Dona Maria, que aos 83 anos, atravessa o rio para pescar ostras com a mesma disposição do neto que a acompanha.

Serviço

Olho d’Água – O brotar da comida cearense

Onde assistir: https://www.instagram.com/_peixemulher/channel/

Comentários

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui