Harmonize com Quinta da Aveleda

0
2227
Risoto de camarão com limão siciliano e manga grelha com Quinta da Aveleda. A taça da foto é brinde para quem compra a garrafa - Foto: Izakeline Ribeiro

O clima tropical, a proximidade do mar e seus sabores formam o conjunto perfeito para harmonizar vinhos refrescantes com a nossa gastronomia. Que tal harmonizar com um Vinho Verde? Um dos rótulos mais apreciados por aqui é o Quinta da Aveleda. O rótulo português, trazido ao Brasil pela Interfood, está presente em diversos restaurantes da capital e a convite da importadora fomos experimentar algumas harmonizações. Em uma tarde/noite cheia de sabores experimentamos pratos dos restaurantes Zoi, Jardim do Alchymist, L’ô Restaurante.

O Quinta da Aveleda é um vinho branco, seco e ligeiramente efervescente. Produzido pela Vinícola Aveleda, o rótulo traz as uvas Loureiro e Alvarinho com um teor alcóolico de 11,5%. De cor amarelo palha com reflexos esverdeados, traz ao nariz frutas brancas e cítricas, e toque florais. Na boca, é frutado e ligeiramente efervescente. É ideal para harmonizar com bolinho de bacalhau, canapés em geral, saladas, frutos do mar, peixes grelhados.

Seguindo a linha de harmonização, vamos começar com os sushis do Zoi Restaurante. Sim. A comida oriental também faz parte do menu (almoço e jantar) do restaurante que fica no Colosso. Além do menu tradicional, às quintas-feiras, acontece o Festival do Sushi com opções em preço promocional.  Lá os sushis estão disponíveis em sabores individuais e porções grandes. Não tem aquela opção de montar combinado.  O Psarou (R$ 52) traz salmão, camarão, creamcheese, abacate e maionese picante. Já o Kalafati (R$ 53), meu preferido, conta com camarão, salmão flambado, creme trufado e ovas de capelin.

Risoto de camarão com limão siciliano e manga grelha com Quinta da Aveleda. A taça da foto é brinde para quem compra a garrafa – Foto: Izakeline Ribeiro

Já no L’Ô Restaurante aproveitamos o almoço executivo, que acontece às sextas-feiras, para harmonizar o vinho Quinta da Aveleda com o excelente risoto de camarão e manga. Cremoso e farto de camarão, o prato pode ser pedido em três opções: entrada e prato (R$ 53); prato e sobremesa (R$ 53) ou entrada, prato e sobremesa (R$ 59,50).

Peixe em crosta com fettuccine – Foto: Izakeline Ribeiro

Nosso roteiro se encerra no Jardim do Alchymist com o filé em crosta de ervas finas servido com  fettuccine ao alho e óleo (R$ 86,90). O restaurante, que tem um dos ambientes mais interessantes de Fortaleza, conta ainda com outras opções de pratos com peixes e frutos do mar, perfeitos para a harmonização.

O preço da garrafa de Quinta da Aveleda custa a partir de R$ 109,00 e pode variar de acordo com o estabelecimento.

L’O Restaurante
Av. Pessoa Anta, 217 – Praia de Iracema
Telefone: (85) 3265-2288

Jardim do Alchymist
Rua Barão de Aracati, 801 – Meireles
Telefone: (85) 3032-7208

Zoi Restaurante – Colosso Fortaleza
Rua Hermenegildo Sá Cavalcante, s/n – Edson Queiroz
Telefone: (85) 98160-0088

Compre a garrafa de Quinta da Aveleda e ganhe uma taça (Abril 2018)

Os restaurantes Zoi, Jardim do Alchymist, L’ô Restaurante, Marquês da Varjota, Casa Nostra, Coco Bambu Sul e Coco Bambu Frutos do Mar e os hotéis Carmel Iguape e Carmel Cumbuco estão participando de uma ação da marca Quinta da Aveleda, na qual, ao comprar uma garrafa do vinho o cliente ganha uma taça personalizada da marca.

Já o  restaurante Coqueiral, na Vila Azul do Mar do Beach Park, está com um menu especial com sugestões de harmonização com o vinho. Neste caso, não há taça como brinde.

A vinícola Aveleda
Fundada em 1870 na região dos vinhos verdes, a Aveleda é uma vinícola 100% familiar, dirigida hoje pela 5° geração da família Guedes. Líder mundial na produção de vinho verde, a Aveleda é especialista na produção de vinhos brancos, especialmente com a nobre uva Alvarinho. Seus vinhos estão presente em mais de 100 países.

 Região dos Vinhos Verdes (DOC) 

O vinho verde pode ser tinto, branco ou rosé e até espumante. Há algumas versões para tal denominação. A mais comum relaciona-se à região, província do Minho (noroeste de Portugal) onde é produzido, onde a paisagem é exuberantemente verde.Outra versão sugere que o nome deve-se ao estilo fresco e leve do vinho. A terceira versão dá conta que o elevado teor de acidez faz ele parecer ter sido produzido a partir de uvas colhidas antes da hora, ou seja, com uvas verdes. No entanto, o fato é que as uvas são colhidas na data exata em que atingem o ponto de equilíbrio dos taninos, ácidos, açúcares, matérias corantes e compostos aromáticos. Mesmo assim, a acidez é real e resulta das vinhas extremamente vigorosas, com ácido málico alto e níveis de açúcar natural da uva relativamente baixos, o que também explica o baixo teor alcoólico.

Post patrocinado por Quinta da Aveleda*

Comentários

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui