Governo do Ceará autoriza reabertura de restaurantes em Fortaleza nesta segunda (22/06)

3
2341

Um baque na saúde e na economia brasileira, o Covid-19 chegou fechando as portas dos estabelecimentos gastronômicos e o mercado que crescia no Ceará deu de cara com um desafio inédito nas últimas décadas. No total, foram três meses fechados e nesse meio tempo o mercado se reinventou. O delivery foi a saída de muitos locais, mas nem todos conseguiram se manter sem a presença dos clientes.

Restaurante Cabaña Del Primo no shopping Riomar Fortaleza no almoço do dia 22 – Foto: divulgação

Enquanto alguns, infelizmente, fecharam as portas, outros colocam a esperança no recomeço desta segunda-feira, dia 22, no início da fase dois do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais no Ceará. Muitas restrições e cuidados, essenciais para a saúde da população, na busca do novo normal.

“Pelo fato de Fortaleza continuar diminuindo todos os indicadores de óbitos e de casos confirmados, mantendo baixa a taxa, dentro dos critérios estabelecidos pela Saúde, de ocupação de leitos de UTI e enfermarias, a decisão é que passa para a segunda fase, que também será de 14 dias”, confirmou Camilo Santana, Governador do Estado.

Com o início da fase 2, os restaurantes, muitos já atendendo no sistema delivery, drive-thru e take away, poderão abrir no horário do almoço, a partir das 11h, para atendimento presencial ao público, com encerramento das atividades às 16h. Na fase 3, prevista para 6 de julho, o atendimento para o jantar será liberado até 23h e será permitida a abertura das barracas de praias. O horário completo será liberado na quarta fase da retomada no dia 20 de julho, mas é necessário aguardar a confirmação do Governo do Estado.

Além da limitação de horário, os estabelecimentos deverão cumprir algumas regras determinadas por decreto pelo Governo do Estado do Ceará, visando a saúde dos clientes, que também precisam respeitar as normas:

Área externa Geppos Restaurante no Jardins Open Mall – Foto: divulgação
  • capacidade de atendimento fica restrita a 50% da capacidade máxima do local;
  • vedada a realização de eventos, celebrações e música ao vivo;
  • disponibilizar produtos para desinfecção de sapatos na entrada como tapetes sanitizantes;
  • uso de luvas descartáveis e reforço na higienização de talheres, pratos e copos, que devem ser colocados a mesa, apenas na hora do refeição e lacrados;
  • preferência por ventilação natural com portas e janelas abertas;
  • aferição da temperatura dos clientes, impedindo a entrada daqueles com condição febril;
  • em caso de fila de espera, marcação de dois metros entre os clientes;
  • mesas com distanciamento de dois metros e distância de 1 metro entre as pessoas na mesa;
  • será admitido apenas dois ocupantes por mesa. Se forem da mesma família, mais de 2 ocupantes estão permitidos;
  • na entrada do estabelecimento disponibilizar álcool em gel 70% para os clientes;
  • cardápios digitais ou higienizados a cada uso;
  • garçons devem usar máscara, viseira e luvas;
  • nos sistemas de “Self-Service” e “Buffets”, além de ter as mãos higienizadas, o cliente deve receber luvas plásticas para manuseio dos utensílios, sendo descartadas ao final do trajeto;
  • banheiros equipados com álcool em gel 70% e papel toalha;
  • os pagamentos deverão, preferencialmente, ser realizados por métodos eletrônicos.

Há ainda uma série de normas para a entrega e recebimentos de insumos e mercadorias, para o ambiente de trabalho, para a higienização de todo o ambiente e principalmente para a manipulação de alimentos.

Para alinhamento dos procedimentos para retomada dos restaurantes, o Governo do Estado contou com as sugestões da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel), que faz parte do Comitê Estratégico de Retomada. “Recomendamos a todos os empresários que cumpram fortemente todo o protocolo elaborado com muita responsabilidade pelo Governo do Estado em parceria com a Abrasel. Essa fase deve ser encarada com seriedade e cautela, para darmos assistência aos trabalhadores que estão voltando às suas atividades”, diz Taiene Righetto, diretor executivo da entidade.

A Associação lançou ainda o Selo Estabelecimento Responsável, que será utilizado pelos associados que estarão cumprindo medidas rígidas, seguindo recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Organização Mundial da Saúde (OMS) e as medidas já em vigor do decreto de isolamento social no Ceará.

Complexo Colosso se prepara para reabertura. Foto: Divulgação

Comentários

Comentários

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui